NotíciasOutros

Coronavírus: Federação dos Bancários negocia medidas protetivas com Fenaban

SÃO PAULO (31/MARÇO/2020) – A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb/SP-MS) participou nesta segunda-feira (30/março), de uma nova videoconferência com o Comando Nacional e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) . Estiveram presentes a presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas, Ana Stela Alves de Lima, e o secretário geral da Feeb, Reginaldo Breda.

O objetivo da conversa foi negociar mais uma vez com a Fenaban, medidas protetivas aos bancários neste período de pandemia, causada pelo coronavírus. Durante a reunião, os bancos se comprometeram a manter o isolamento. “Entendemos que o cenário é preocupante, mas avaliamos positivamente as medidas alcançadas até o momento. Já são 230 mil bancários em casa, o que representa 60% dos profissionais fora das agências, entre eles, profissionais que fazem parte do grupo de risco, ou estão em férias, afastados por questão de saúde ou em trabalho de home office. Com tais medidas, evitamos a propagação do coronavírus nos municípios, protegendo tanto funcionários, como clientes das agências”, explica o secretário geral da Feeb, Reginaldo Breda.

Entre as reivindicações negociadas anteriormente pelo comando Nacional e já conquistadas estão a liberação de profissionais de grupo de risco (acima de 60 anos, gestantes, ou com alguma questão de saúde debilitada), prestação de serviço à distância (home office), garantia de emprego, antecipação do 13º em vários bancos, como forma de garantir renda e ajuda aos familiares, entre outras.

De acordo com Ivone Silva, uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, é importante que os bancos implantem um sistema eficiente de controle de acesso às agências e o atendimento presencial exclusivo para clientes agendados. “É preciso ter um comunicado geral informando que serão atendidos presencialmente apenas serviços essenciais e casos de extrema necessidade que tiverem sido previamente agendados. Isso dá mais segurança não apenas para o bancário, mas também para o cliente, que não precisará ficar em filas na parte externa das agências”, ressalta.

MEDIDAS IMPLEMENTADAS – A representação da categoria também cobrou respostas sobre as demais reivindicações de enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus, que vem sendo apresentadas pelo movimento sindical aos bancos desde o dia 12 de março, quando o Comando enviou um ofício à Fenaban com os pedidos iniciais e a solicitação de uma reunião para discutir o assunto.

Durante a reunião, a Febraban informou ainda que cerca de 2.200 agências foram fechadas em todo o Brasil, como medida para evitar a propagação do vírus. Também foram fechados postos de atendimento bancários em aeroportos e hospitais e que voltará a negociar o fechamento daqueles que ainda não foram fechados por solicitação de outras categorias.

A pedido do Comando dos Bancários, o Banco Central reduziu o horário de atendimento ao público pelos bancos. O objetivo é reduzir o tempo de exposição ao vírus e evitar os horários de maior movimento nos meios de transporte.

Também a pedido do Comando, os bancos realizam uma campanha na mídia para orientar os clientes sobre o uso dos meios digitais; caixas eletrônicos, assim como sobre os riscos da contaminação pelo coronavírus. Os bancos disponibilizam álcool gel para os bancários que continuam trabalhando para manter as atividades essenciais do serviço financeiro e atender os casos de extrema necessidade.

FONTE: www.feeb-spms.org.br

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar